Metamorfoses

Foi no período da minha adolescência, entre questionamentos, revoltas, o não fazer parte de um padrão de beleza imposto, que elas me chegaram pela literatura.
As borboletas.
Já me encantavam quando surgiam, na sombra do pessegueiro no quintal de terra da casa da infância, voando com delicadeza.
Mas foi com os livros que eu fui tocada pela metamorfose das lagartas.
A beleza escondida, o tempo de recolhimento, a transformação, o não apressar o seu nascimento soprando-lhe as asas, a morte vista nessa metamorfose.

"É preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas. Dizem que são tão belas" - O Pequeno Príncipe 

Dia desses li um post num blog que terminava com esta frase: para que sejam pessoas melhores, por um mundo melhor.
E encerrava a descrição, intercalada com poesia, de um projeto realizado por crianças de uma escola, chamado De Lagarta à Borboleta.
O encantamento da transformação, da ciência, da filosofia, da poesia, habitando essas crianças.
Que o mundo, ao se deparar com as lagartas, encante-se com a possibilidade das borboletas.









Comentários

  1. Que assim seja
    Que lindeza
    Que honra meu post voar de lá pra cá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tina, o sábado estava chuvoso e cinzento, mas quando eu saí na rua e me deparei com essas lagartas, lembrei do seu post, recordei das minhas reflexões.
      Essa partilha entre os blogues é muito enriquecedora.
      Beijo!

      Excluir
  2. Amém! Que a gente consiga ter esse olhar nos momentos difíceis e que ele nos ajude a compreender a sabedoria das metamorfoses.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é fácil, né Pandora? Principalmente nos momentos difíceis, é tão difícil enxergar, vislumbrar, mas ao mesmo tempo é tão possível. A Natureza está aí para nos ensinar sempre.
      Então, que a gente possa aprender!
      Obrigada pelo comentário! Beijo.

      Excluir
  3. Uma lindeza mesmo, Tina. Amei e eu também me incluo nessa observação da metamorfose das borboletas. É seu escrito? Está de doer de lindo! Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Luiza, obrigada por estar aqui no meu cantinho a convite da Tina!
      Como nos ensina a metamorfose das borboletas.
      Volte sempre, um beijo!

      Excluir
  4. Tina,lindo demais!
    Adorei o texto é seu?
    Beijos
    Amara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amara! Muito bom tê-la aqui no travesseiro de paina e receber teu comentário!
      Só para esclarecer, o texto não é da Tina. Ela é que é uma passarinha linda que gosta de espalhar amizades por aí!
      Beijo e volte sempre.

      Excluir
  5. Tina sempre descobrindo e partilhando maravilhas! Bjs às duas! chica

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários são trocas, partilhas que agregam, acrescentam e nutrem um blog. Compartilhe o seu pensar, o seu sentir!

Postagens mais visitadas